Banner
Banner

Banner
Banner
Banner
Banner

Banner
Banner
Página Principal

ECOSSISTEMAS

Coleta de dados sobre o monitoramento de Projeto de Recomposição de Áreas Degradadas e Alteradas - PRADA´s

Publicado em: Qua, 07 de Fevereiro de 2018 14:11

Última Atualização em: Seg, 09 de Abril de 2018 18:15

Ecossistemas

A coleta de dados sobre o monitoramento da recuperação das áreas degradadas, nas propriedades rurais de Mato Grosso, pode ser sintetizada em planilhas EXCEL.


As planilhas de monitoramento são instrumentos para coleta e processamento de dados levantados em campo, podendo ser utilizadas em computadores, smartphone e tablet que possuem o software Microsoft Excel.

Com o uso das planilhas é possível reunir todas as informações relativas aos indicadores ambientais de recomposição que serão registradas no módulo PRA do SIMCAR.
Foram desenvolvidas e estão disponíveis as versões aplicadas às tipologias Floresta (formações florestais) e Cerrado (formações savânicas e campestres).


Os dados são inseridos por parcelas e os resultados são calculados automaticamente e reunidos na aba – Consolidação de Dados. É imprescindível manter um padrão único ao digitar quais espécies ou morfotipos foram identificados em cada parcela e evitar o uso de acentos.

 

Instruções para o preenchimento das Planilhas de monitoramento PRADA

As planilhas para coleta de dados nas áreas com projetos de recomposição, em ambientes florestais e do cerrado, são formadas por um conjunto de 53 pastas

A diferença entre as Planilhas referentes à Floresta e ao Cerrado está na densidade dos indivíduos amostrados. Nos casos de formações savânicas e campestres não é relevante a coleta dessas informações porque não faz sentido avaliar densidade para estas tipologias.

O monitoramento dos indicadores e a definição do número de parcelas devem ser feitos isoladamente para cada Polígono de Recomposição. Este que pode ser composto de um único polígono ou da soma das áreas de dois ou mais polígonos, mesmos que descontínuos, mas com características ambientais e de restauração semelhantes.

Desta forma, cada planilha deve ser utilizada para monitorar um Polígono de Recomposição. Ex. Caso a sua área de PRADA possua dois polígonos, então, serão duas planilhas e assim sucessivamente.

Sugerimos que ao utilizar as Planilhas, primeramente preencha os campos de informações do “Protocolo de Coleta de Dados até o campo “Ano do Monitoramento”, presente na pasta Consolidação de Dados (figura 1).

01_Protocolo_de_coleta_de_dados

Figura 1 – Protocolo de Coleta de Dados presente na pasta Consolidação de Dados

A partir do campo - Indicadores Ecológicos - Resumo, a planilha não é editável, são células bloqueadas que irão processar todos os dados inseridos nas pastas de Parcelas, reunindo toda informação sobre o monitoramento dos indicadores de forma sintetizada (Figura 1).

A pasta de trabalho Riqueza gera uma lista de Espécies e/ou Morfotipos das informações que foram inseridas nas pastas de Parcelas atendendo o disposto no Decreto Estadual 1253 de 01/11/2017 (Figura 2). Não precisa editar esta pasta, pois a mesma restaura as informações automaticamente das Parcelas, e caso insira as informações com erros deverá fazer a correção na pasta de origem, no caso na Parcela.

01__Riqueza

Figura 2 -Lista de Espécies e/ou Morfotipos por Parcela.

A pasta Subtotais para Riqueza e densidade de Regenerantes Nativos gera uma lista quantitativa dos dados de riqueza e densidade que foram inseridos nas Parcelas (Figura 3).

01__Densidade

Figura 03 - Lista quantitativa dos dados de riqueza e densidade por Parcela.

As pastas das Parcelas tratam-se da parte de coleta de dados do campo. As informações preenchidas nessas pastas definirão os resultados do monitoramento, por isso é importante ressaltar que o preenchimento errado compromete todo seu trabalho.

Cada parcela implantada no campo será vinculada a uma pasta, portanto, se possui 15 parcelas serão preenchidas 15 pastas.

As pastas de Parcela possuem duas (02) tabelas para coleta de dados dos indicadores de Cobertura do Solo, Riqueza e Densidade (Figura 4).

01__Parcela

Figura 4 – Pasta Parcela 01

Na tabela de Cobertura de Solo com Vegetação Nativa (%), cada toque deve ser marcado com o número 1 ou a letra X, lembrando sempre de manter um padrão.

Na tabela de Densidade e Riqueza de Regenerantes nativos deverão ser marcados a quantidade e a espécie e/ou morfotipos de regenerantes nativos presentes na parcela amostrada no campo.

Preencher a tabela de Densidade e Riqueza de Regenerantes nativos de forma padronizada, ou seja, NÃO digitar o nome de uma mesma espécie ou morfotipo de duas ou mais formas diferentes. Por exemplo: IPEAMARELO e IPE_AMARELO. Neste caso, a planilha irá considerar cada uma das grafias como uma espécie distinta, quando na verdade trata-se da mesma espécie. Deve-se evitar utilizar caracteres especiais da língua portuguesa, como: “Ç, ~, ^, etc. ou barra de espaço. Substituir os espaços por “_” caso sejam necessários, e de preferência utilizar apenas letras maiúsculas.

É imprescindível que as parcelas sejam georreferenciadas, podendo as coordenadas geográficas e demais informações serem anotadas em células abaixo da linha de Cobertura total, NUNCA no espaço entre as tabelas e sobre as tabelas.

Segue abaixo as Planilhas disponívies para download nas versões Cerrado e Floresta.

Anexos:
ArquivoDescriçãoTamanhoModificado
Fazer download deste arquivo (MONITOR_FLORESTA_BLOQUEADO.xls)Planilha de monitoramento PRADA para Floresta 939 Kb09/04/2018 18:14
Fazer download deste arquivo (MONITOR_ PRADA_CERRADO_SEMA-MT.xls)Planilha de monitoramento PRADA para Cerrado 982 Kb09/04/2018 18:15
Voltar  |  Principal
Disque Denúncia
SEMA-MT

Telefone: (65) 3613-7200

Palácio Paiaguás, Rua C, CEP: 78.049-913 - Cuiabá - Mato Grosso

CNPJ: 03.507.415/0023-50