Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > SEMA > Notícias > Secretária de Meio Ambiente destaca integração e monitoramento por satélite para redução de 20% no desmatamento
Início do conteúdo da página
SEMA
Publicado: Sexta, 05 de Novembro de 2021, 19h24 | Última atualização em Sexta, 05 de Novembro de 2021, 19h24 | Acessos: 407 | Categoria: Notícias
Secretária Mauren Lazzaretti participa do painel Amazônia Real, na COP26 - Foto por: Assessoria
imagem sem descrição.
Durante o debate no Painel "Amazônia Real", a secretária de Estado de Meio Ambiente e presidente da Associação Brasileira de Entidades de Meio Ambiente (Abema), Mauren Lazzaretti, apresentou os avanços e desafios da política ambiental de Mato Grosso. O Painel aconteceu na manhã desta sexta-feira (05.11), no quinto dia da Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP-26), como parte da programação do Pavilhão Brasil, em Glasgow, na Escócia.  

"Mato Grosso trabalha para que o desenvolvimento sustentável seja a política que coordena todas as outras ações. O Estado investe em tecnologia, na integração das Forças de Segurança e na cooperação entre órgãos para o enfrentamento das ilicitudes. E o resultado já se verifica em números. Reduzimos em 20,5% o desmatamento no Estado e contribuímos significativamente para a redução dos índices de desmatamento da Amazônia", afirmou a secretária durante o encontro.

Na avaliação da gestora, a redução do desmatamento mostra que a estratégia funciona. O monitoramento por satélite de todo o território estadual aumentou a capacidade de autuação de crimes ambientais. O Sistema de satélites Planet foi adquirido com apoio do Programa REM Mato Grosso (do inglês, REDD para Pioneiros). A secretária apresentou o Estado como um gigante em extensão territorial, com cerca de 903 mil km², e três biomas: Amazônia, Pantanal e Cerrado. Mais da metade do território estadual está preservado.
 
Secretária Mauren Lazzaretti discursa no painel 'Amazônia Real
Créditos: Assessoria

"Dos 62% do território de Mato Grosso que estão preservados, 28% estão em áreas privadas, ou seja, o produtor de Mato Grosso também conserva, assim como as Unidades de Conservação e as Terras Indígenas", conta. Os 562 mil km² preservados correspondem à soma da área de três países: Nova Zelândia, Dinamarca e Reino Unido.
 
A prevenção e combate aos incêndios florestais também apresentaram resultados positivos. "Fomos notícia ano passado em virtude dos incêndios, principalmente no Pantanal. Mas neste ano reduzimos os focos de calor em 83% no Pantanal, 52% em todo o estado, em comparação com o ano passado. Houve redução de 14% em comparação com a média dos últimos 10 anos", explica.

Mato Grosso também mostrou a estratégia para alcançar a neutralidade dos gases do efeito estufa até 2035, por meio do Programa Carbono Neutro MT, lançado no último dia 25 de outubro. Por meio do programa, 12 ações para o desenvolvimento sustentável serão fortalecidas, entre elas, o combate ao desmatamento ilegal, o manejo sustentável, preservação da floresta em pé, e restauração de florestas.
 
Secretária Mauren Lazzaretti participa do painel Amazônia Real, na COP26
Créditos: Assessoria
 
A secretária também foi mediadora de dois painéis Amazônia Real, que ouviram representantes dos Estados sobre o combate aos crimes ambientais, os desafios e as oportunidades.
 
Mato Grosso é referência para outros estados

O secretário de Meio Ambiente do Amazonas e presidente do Fórum dos Secretários da Amazônia, Eduardo Taveira, foi um dos quatro painelistas deste encontro, e aponta o avanço na política ambiental de Mato Grosso.

"Acho importante destacar que Mato Grosso tem sido o 'estado da arte' para outros estados do ponto de vista de incremento tecnológico  para o monitoramento, e também nas alternativas para integrar esse aumento bem vindo da capacidade de produção, e usar esse instrumento efetivo de segurança contra as atividades ilegais".

Ele destaca a importância da união dos Estados da Amazônia, e observa que quando um estado aumenta a sua capacidade de coibir os crimes ambientais, os outros que estão nas margens sofrem uma maior pressão por desmatamento. "É importante pensar em estratégias de combate ao desmatamento de forma integrada, e Mato Grosso tem sido uma grande referência para nós".

Também participaram do Painel o gerente de recursos energéticos e mudanças climáticas de Tocantins, Francis Frigeri, e o secretário Adjunto de Meio Ambiente do Pará, Rodolfo Bastos.

O painel Amazônia Real foi transmitido pelo canal do Youtube do Ministério do Meio Ambiente (MMA). O evento é organizado pelo MMA em parceria com a Força Tarefa dos Governadores pelo Clima (GCF), Fórum de Secretários de Meio Ambiente da Amazônia Legal, e Conservação Internacional Brasil (CI-Brasil).

Secretária Mauren Lazzaretti participa da COP26
Créditos: Assessoria
 
Registrado em: ,,
Fim do conteúdo da página

Central de Atendimento Integrado ao Cidadão (CAIC)

0800 647 0111

Disque-Denúncia

0800 065 3838