Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > SEMA > Notícias > Inpe aponta queda de 13,8% do desmatamento em Mato Grosso no último ano
Início do conteúdo da página
SEMA
Publicado: Quinta, 01 de Dezembro de 2022, 14h29 | Última atualização em Quinta, 01 de Dezembro de 2022, 14h29 | Acessos: 187 | Categoria: Notícias
Floresta Amazônica - Foto por: Mayke Toscano/Secom-MT
imagem sem descrição.

A área desmatada em Mato Grosso em 2022 teve redução de 13,8% em comparação com o ano passado. Os dados foram divulgados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), no relatório anual do Projeto de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia Legal por Satélite (Prodes) considerado preciso para medir as taxas anuais, e representa a medição oficial do país. 

O período apurado vai de agosto de 2021 a julho de 2022, completando 12 meses. A comparação é feita com o mesmo período do ano anterior. Para Mato Grosso, o resultado positivo aponta que a política de tolerância zero com o desmate ilegal, e os investimentos do governo estadual na fiscalização, eficiência do licenciamento ambiental, e monitoramento por satélite, têm surtido efeito. 

"Neste ano, foram mais de R$ 60 milhões investidos em ações de combate e controle, mas também em estratégias de prevenção ao desmatamento, como o desaparelhamento de infratores com a apreensão de maquinários, e operações com foco em identificar e frear o desmatamento ainda no início", explica o secretário Executivo da Sema, Alex Marega. 

No período de 2021/2022 foi identificado o corte de 11,5 mil km², enquanto a área identificada em 2020/2021 foi de 13 mil km². Nos últimos 20 anos, a redução foi de 85% na área desmatada no Estado. Atualmente, Mato Grosso mantém 62% de seu território inteiramente preservado, mesmo sendo o principal produtor de commodities do país.

A eficiência no licenciamento ambiental também contribui com o aumento da legalidade no campo. No primeiro trimestre deste ano, a abertura legal de áreas chegou a 38% do desmate registrado no estado. Este índice era de cerca de 5% em 2018.

O desmate legal ocorre dentro do que prevê o Código Florestal, que é a legislação ambiental mais restritiva do Mundo. No bioma Amazônia, uma propriedade particular deve preservar 80% da floresta em pé, e pode suprimir a vegetação de 20% da área após o processo legal de autorização do órgão ambiental estadual. 

 

Recebimento de pagamento por resultados

Mato Grosso recebe recursos internacionais como pagamento por resultado na redução da emissão de gases do efeito estufa e valorização da floresta, por meio do Programa REM MT (Programa Programa REDD+ For Early Movers).

A plataforma de Monitoramento por Imagens de Satélites, que detecta de forma rápida toda a mudança de vegetação no território estadual, foi financiada pelo Programa, assim como a retirada de maquinários de infratores e a aquisições de insumos que apoiam a ação estadual no enfrentamento ao desmate ilegal e incêndios.

Acesse a Nota Técnica do Inpe/Prodes AQUI.

 

Texto| Lorena Bruschi

Registrado em: ,,
Fim do conteúdo da página

Coordenadoria de Atendimento ao Cidadão - CATE

0800 647 0111

Disque-Denúncia

0800 065 3838